Español
 
English
 
Bem vindo ao LLAMA
 
O Grande Arranjo Milimétrico Latino-Americano (LLAMA por sua sigla em inglês) é um emprendimento científico e tecnológico argentino e brasileiro cujo fim é a instalação e operação de um telescópio capaz de desenvolver observações do Universo nos comprimentos de onda milimétricos e sub-milimétricos. O projeto é financiado pela Secretaría de Articulación Científico Tecnológica do Ministerio de Ciencia, Tecnología e Innovación Productiva (MINCyT) da Argentina e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), do Brasil. Será operado pelo Instituto Argentino de Radioastronomía (IAR-CONICET) e a Universidade de São Paulo (USP), em nome da Argentina e o Brasil, respectivamente.
 
O radiotelescópio será instalado na Puna de Atacama noroeste da Argentina em um lugar cujas coordenadas terrestres (longitude (λ) e latitude (φ)) são (λ,φ) = (66º 28' 29.4" (W), -24º 11' 31.4" (S)). O sítio, denominado localmente de Alto Chorrillos, está localizado a uma altura de 4790 metros acima do nível do mar (manm) a aproximadamente 180 km ao Suleste do ALMA, com condições atmosféricas similares às de ALMA. Se encontra dentro de uma área de 400 hectares alocadas para este projeto pelo Governo da província de Salta e a 20 km, em linha reta, do povoado de San Antonio de los Cobres (SAC, 3800 manm). Em SAC será construido o maior acampamento base, com laboratórios, escritórios e alojamento para prover a infrastrutura necessária para uma operação eficiente desta instalação remota.
 
LLAMA é um telescópio Casegrain tipo ALMA, manufaturado por Vertex AntennenTechnik GmbH, cujo refletor primário tem um diâmetro de 12m, com precisão rms de superfície de 15 µm, e de apontamento de 2 segundos de arco. Adicionalmente, o radiotelescópio terá duas cabinas Nasmyth onde diversos receptores simples e múltiplos serão instalados. O foco Cassegrain será usado para instalar uma câmera bolométrica ou um arranjo superheterôdino.
 
O radiotelescópio será, em geral, equipado com receptores tipo ALMA, cobrindo a faixa de freqüências de 35 GHz até acima de 1 THz (comprimentos de onda milimétricos e submilimétricos). Embora, inicialmente, o instrumento irá funcionar principalmente como um telescópio single-dish, ele será utilizado como parte de uma rede de Interferometria de Base Muito Longa (VLBI em inglês). Essa rede pode incluir o Atacama Large Millimeter/Submillimeter Array (ALMA), o Atacama Pathfinder Experiment (APEX), e o Atacama Submillimeter Telescope Experiment (ASTE). Deste modo, um aumento na resolução angular de pelo menos um factor10 do atualmente conseguido por ALMA seria possível. Prevê-se que LLAMA acabará por se tornar parte do Event Horizon Telescope (EHT) e de outras redes milimétricas.
 
O sistema óptico está sendo concebido para ser o mais versátil possível. Deste modo, um máximo de quatro receptores simultâneos, com dupla polarização, poderá ser utilizado a todo momento. Embora o desenho óptico não permitirá observações simultâneas com os receptores nos focos Cassegrain e Nasmyth, o sistema tem a capacidade de fazer uma troca rápida (dentro de poucos minutos) entre os instrumentos situados no foco Cassegrain (por exemplo, uma câmara ou MKID e uma matriz heteródina a uma frequência dada) e aqueles localizados no foco Nasmyth.
 
Em modo single-dish, este instrumento será adequado para estudos a serem realizados no contínuo e em espectroscopia atômica ou molecular de objetos astronômicos situados numa ampla banda de distâncias, desde o Sol, até as galaxias com desvios para o vermelho.
 
Além de proporcionar às comunidades científicas da Argentina e do Brasil de uma nova unidade de observação radioastronômica, LLAMA estará aberto para colaborações internacionais, tanto observacionais e de teste de novos receptores, como para sediar instrumentos de instituições hóspedes.
 
LLAMA deverá entrar em fase de comissionamento no segundo semestre de 2016.
 
 
Contato na Argentina:
Dr. E. M. Arnal
Dra. C. E. Cappa
Dr. R. Morras
Contato na Brasil:
Dr. J.R.D. Lepine
Dr. Z. Abraham
 

MINCYT    CONICET    IAR    IAFE    FAPESP    USP    IAG